sexta-feira, 8 de abril de 2011

Crianças do Prosseguir/HOL assistem a Peça Teatral "A Cigarra e a Formiga"




07/04/11

A equipe da classe educacional do Programa Prosseguir do Hospital Ophir Loyola recebeu nesta quarta-feira, 06, uma apresentação especial do musical "A Cigarra e a Formiga" realizada pela produtora Amazônia Imaginária, sob a direção de Emanoel Freitas. A apresentação, realizada no auditório Luiz Geolás do HOL, foi destinada para crianças e também pacientes de todas as idades em tratamento no HOL. Antes do espetáculo, os atores visitaram várias clínicas do hospital como pediatria, nefrologia, quimioterapia adulto e infantil e o setor onde funciona a Escola Prosseguir. Eles percorreram o hospital trajando o figurino dos personagens e convidando todos pelo caminho para assistir ao musical. Os artistas trouxeram carinho e um clima de alegria a todo o ambiente hospitalar. A encenação de "A cigarra e a Formiga" foi uma ação de responsabilidade social do grupo que apresentou a peça de forma solidária e gratuita aos pacientes do HOL. Para o diretor, Emanoel Freitas, "teatro é a arte da emoção ao vivo. E o compromisso do artista é exatamente o democratizar o acesso a cultura, temos sempre que levar a arte onde o povo está.

E aqui não é diferente, nossa missão é proporcionar esta oportunidade. Em 2005, também estivemos no HOL apresentando a mostra de Cinema Interativa e iremos retornar sempre trazendo arte". Para colocar a peça em cartaz e apresentá-la ao público, a apresentação foi ensaiada pelo grupo de março de 2010 a janeiro de 2011. Um trabalho de fôlego da Amazônia Imaginária. Este é o quinto musical infantil da Produtora que já existe há 10 anos na capital paraense. A peça foi prestigiada por cerca de 100 pessoas entre pacientes, acompanhantes e servidores do HOL. A coordenadora do Prosseguir no HOL, Izabel Oliveira, explica que " eventos como este garantem mais autoestima para os nossos pacientes por isso sempre tentamos proporcionar ações de caráter cultural".

Pacientes como o menino Lairton Mateus Batista, 10 anos, vindo de Concórdia do Pará, não perderam a oportunidade de assistir o espetáculo. "Foi ótimo, muito legal para crianças, gostei demais, estava ansioso pra ver como era o teatro", disse. A mãe do pequeno paciente, Lucicléa Amaral Lima concordou, "gostei muito. A iniciativa foi excelente. Meu filho faz quimioterapia no hospital Ophir Loyola, mas hoje, ele fez questão de vir aqui só pra ver esta peça. A gente nunca teve chance de ir num teatro. Muito interessante para distrair as crianças e todos os pacientes que puderam assistir, inclusive os acompanhantes". Para a atriz Cynthia Pampolha, que dá vida a personagem "formiguinha", apresentar e conhecer o hospital Ophir Loyola é sem dúvida a uma experiência de vida, uma lição. Já Adelaide Teixeira, a "Joaninha" conta que "foi difícil conter a emoção. Queremos vir mais vezes sempre que possível. Na visita dentro do hospital, fomos em diversas alas como a quimioterapia, sei que os pacientes estão num momento fragilizado e ao mesmo tempo precisam muito destas iniciativas de arte, lazer, bem-estar". Fabrício Bezerra que interpreta o espantalho completa, "o coração tem que ser forte pra dar conta da emoção de se apresentar no hospital. Foi gratificante".

"A Cigarra e a Formiga"O musical conta a estória dos amigos (Cigarra, Formiga, Dr. Besouro, Espantalho, Joaninha, e Dona Marreca) que vivem numa floresta em plena harmonia e alegria, até que um dia resolvem montar um show para se apresentar para toda 'bicharada' da floresta, e durante o ensaio acontece uma surpresa que acaba com a realização do sonho. Revoltada por ter que dividir o palco com a desafinação de outros bichos, a Cigarra, que é a cantora da floresta, decide então não fazer mais parte do show, deixando seus companheiros super tristes. Dona Marreca considerada a briguenta da floresta, não aceita a situação e cria a maior confusão com seus amigos, e diz que por sua parte o show não será mais realizado, já que ela tem o patrocínio. Neste contexto, entra a doce Formiguinha semeando paz e amor nos corações de todos. Quem assina a direção é o diretor Emanoel Freitas. Os atores passaram meses se preparando com muitos ensaios, aulas de canto, com a cantora e preparadora vocal Mariane Lima, aulas de dança e coreografia, com Marilene Mello, e o preparador corporal Fernando Alves. O musical é rico em figurino, luz, cenário, objetos de cena, coreografias, e cheio de canções cantadas ao vivo. “A Cigarra e a Formiga”, realização da Amazônia Imaginária, cumpre o papel de estreitar caminho entre o artístico e o educacional, pensando principalmente nas crianças, onde os próprios bichos da floresta passam várias mensagens, durante todo o espetáculo.


ELENCO: Adriana Cavalcante – CIGARRA Cynthia Pampolha – FORMIGA Adelaide Teixeira – JOANINHA André Wanzeler – BESOURO Fabrício Bezerra – ESPANTALHO Wellen Ávila – MARRECA

Texto Retirado do site: http://www.ophirloyola.pa.gov.br/

Um comentário:

"NaahsComArte" disse...

Olá, estou divulgando as ações iniciais do NAAHS, vc poderia postar neste espaço, para divulgar que as vagas são gratuitas para alunos de sua escola e da rede? Estamos selecionando talentos diversos para participar das nossas oficinas... segue o link da postagem do nosso blog.
http://naahsparaense.blogspot.com/2011/04/despertando-talentos.html
O NAAHS Pa agradece a colaboração!
Prof. Rozy